20 maio 2018

Caldas da Rainha

Vejam o cisne negro que encontrei em Portugal. 
Deslizava suavemente por sobre o lago no Parque D. Carlos I. 
Há tanta ternura e elegância nesta ave. 
Impossível não se apaixonar!








18 maio 2018

Palavras e flores

Viva o seu dia intensamente. 
Pense em coisas agradáveis, 
procure inovar e não receie mudanças. 
Deixe que o passado adormeça devagarinho
e guarde dele somente lembranças boas. 
Sonhe com seus planos futuros, 
construa-os e tente lapidá-los a cada dia. 
E nunca esqueça: não há sonho grande demais! 












13 maio 2018

Óbidos

Óbidos, do latim ópido: cidadela 

No século XIII, o rei Dinis de Portugal casou-se com Isabel de Aragão. 
No ensejo, o monarca deu para sua noiva a vila de Óbidos inteirinha. 
Um valioso presente! 

 Lá está pequenina, medieval... quase intacta. 
É impossível traduzir a beleza de Óbidos em palavras ou através da fotografia. 
É preciso senti-la, saborear seus aromas e ouvir suas canções. 
Todo ângulo é gracioso, único e surpreendente. 
As casas são caiadas, com enfeites de amarelo ou azul. 
É bonito ver os telhados em vermelho- abóbora e as antigas chaminés. 
Pelas ruelas há muitas lojas de artesanato, cafés e restaurantes. 
 Ao deixá-la, quando rumamos em direção a Lisboa, 
ainda olhei para trás, pois queria vê-la mais uma vez, 
ali... em cima da colina, protegida entre muralhas. 
Uma pérola - ainda em sua concha.













06 abril 2018

Aurora

... era como se a primavera lhe pertencesse, 
como se quisesse esposá-la, 
 como se a luz fosse sua, 
como se tivesse que realizar um ritual. 
 Saudava-a, acolhia-a, hospedava-a. 
 Talvez ela temia que a aurora fosse embora, que se retirasse, 
que levasse todas as fitas coloridas, que nos abandonasse e se despedisse.   
Maia renovava sua alma com a vinda da primavera. 
Amava-a com todas as suas forças. 










25 fevereiro 2018

Gênese

Durante o período de gestação, 
a papoula ficou protegida e embalada no seio materno,
 robusto e defensor. 
Agora, lentamente, o útero se contrai e a flor nasce, 
num parto lento e cauteloso. 
Pétalas virgens procuram a luz, 
hospedam a vida.