14 janeiro 2018

Rio Grande do Sul

Visitamos a rota do vinho na região serrana do Rio Grande do Sul, 
onde os imigrantes italianos fizeram a sua morada. 
Conhecemos várias cidades e provamos vinhos em pequenas propriedades. 
Simplesmente encantadora é a região, 
pontilhada por araucárias e vinhedos, tantos vinhedos. 
A arquitetura é bem conservada e tão peculiar, 
uma preciosa herança que conta histórias do século XIX. 
As imagens de hoje são das cidades de
Antônio Prado, Monte Belo e Santa Tereza.

Brasil bonito!
Dezembro de 2017


















Meu marido puxando a barca. 








19 junho 2017

Recomeço

Eu gosto da segunda-feira.
Ela tem um feitio de recomeço, de renovação. 
Depois do final de semana cheinho de atividades, 
de comilanças, de visitas e de preguiçosas horas… 
gosto de retomar as lides diárias. 
Na verdade, penso que o cotidiano nos faz bem. 
Ele nos concede a oportunidade de tentar mais uma vez, 
de repensar e de seguir metas já traçadas. 
Assim sendo, desejo para você… 
uma segunda produtiva, 
cheia de boas ideias, de coragem e de fé.


20 maio 2017

Alentejo

Viajar para Portugal é como ir para casa. Há, por toda parte, laços atávicos que nos unem e que nos assemelham: nossa terra-mãe, nossa origem, nossa herança. É um país encantador... com aromas de ervas, de figo, de eucaliptos, de mar e de verão. O povo é hospitaleiro, as pessoas são amáveis e humildes. Rumamos para o Alentejo e encontramos vastas planícies, mares verdes e praias desertas. Há oliveiras, sempre oliveiras. Nas esplanadas crescem vinhedos, corticeiras e laranjais. Castelos medievais e pequeninas aldeias - com brancos casarios - se espalham por toda a região. Passamos pela ancestral Évora, por Moura, Serpa, Mértola, Monsaraz - no topo da Colina, Beja, Mourão e a miúda Porto Covo.


























02 abril 2017

O intenso brotar

Quando a espera compensa. 
Quando a luz volta
e quando o desabrochar das flores inova a alma. 
É assim a aurora.
Sentia falta da brisa morna, dos arbustos verdes 
e de toda a alegria que a primavera nos concede. 
A natureza está a saltitar e a... dançar. 
Os jardins ciciam, soam e segredam ao vento. 
E eu acompanho tudo, emocionada e feliz.